09 maio 2013

Depois de 12 anos, agradeci


“No final do culto o Pastor Josué pediu para sairmos do nosso lugar e procurar uma pessoa na igreja para abraçar e dizer: “ Sou grato a Deus pela sua vida”. Você não imaginammmmmm quem estava lá?? Não era minha tia não rsss era outra pessoa!!”

Vou revelar gente, mas antes disso vou falar um pouco de GRATIDÃO.

Gratidão é a memória Do coração.

Deus não tem compromisso cujo coração não tem memória, Deus não tem compromisso com quem cospe no prato que comeu, se esquecendo que um dia pode precisar comer neste prato novamente...

O ingrato escreve na rocha o mal que lhe fizeram, mas escreve na areia o bem que lhe fizeram.

Aquele que triunfa não pode se esquecer de alguém que lhe ajudou.

A gratidão fecha o inferno e mantém o céu aberto na nossa vida. Deus tem prazer de abençoar as pessoas gratas. Quem não sabe ser grato pode estar fechando a porta para quando precisar de uma segunda oportunidade. A Bíblia diz: ”Sê agradecido...” (Cl. 3:15)

“Bendize, ó minha alma, ao SENHOR, e não te esqueças de nenhum de seus benefícios.”(Salmos 103:2)

Preste bem atenção no que vou escrever agora, são trechos do livro “Não desista dos seus sonhos” do Pr. Josué Gonçalves:

“A ingratidão é a arma que o diabo usa para abrir feridas no coração de muitos, gerando dores profundas na alma. Por isso, a insistência do apóstolo Paulo: “...e sede agradecidos”.”
“Ingratidão gera conflitos interiores e um sentimento de desprezo e desvalorização muito grande. A ingratidão fere, machuca, golpeia a alma, entristecendo-nos.”

“Se a gratidão produz, em quem a recebe, um sentimento de prazer e desejo de fazer mais, a ingratidão gera um sentimento de desprazer, desestimulando a pessoa de continuar fazendo.”

“Quem não sabe ser grato a Deus dificilmente saberá ser grato ao próximo. Minha gratidão a Deus se manifesta na gratidão que eu tenho para com as pessoas que me estenderam a mão. Quem algum dia não foi objeto de solidariedade de alguém?”
Enfim, neste culto eu estava só(o seminário não era na minha igreja), mas tinha uma pessoa nesse dia lá, por sinal, fazia poucas semanas que esta pessoa tinha se mudado para lá. É uma pessoa muito especial na minha vida e que de fato, sou muito grata a Deus pela vida dela. E Deus proporcionou esse momento para que eu agradecesse. Falei AQUI nos posts anteriores que através da minha tia Juliany e da minha bisavó, tive o primeiro contato com Jesus, bem criancinha... mas minha infância foi uma salada de fruta de crenças, minha mãe era católica e me levava para o catecismo (acho que é esse o nome), minha avó (mãe do meu pai), era testemunha de jeová e me levava por salão do reino de Deus e minha tia espírita, me levava para o centro espírito tomar passes, depois ia novamente para escola dominical e assim por diante rssss imaginem só? Sabe... Deus escolhe pessoas que tem passado, Ele olhou lá de cima e disse: “tú es minha, Raquel”.

Eu tinha 10 anos, quando chegaram vizinhos novos na casa ao lado. Eram 3 jovens e uma secretária. Eles eram do interior aqui do RN, e passavam a semana em Natal, na capital, para estudar, no final de semana voltavam para o interior.Eram dois meninos, uma menina e uma jovem.

O nome da menina era Diniza Heloísa, ficamos bem amigas, vivia na casa dela jogando banco imobiliário, pega vareta e etc Eles eram evangélicos e ela sempre me chamava para ir com ela na igreja, assistir um culto. Ela era cantora evangélica, tinha cd gravado e participa de vários eventos da igreja, cruzadas e tal. Ela pregou pra mim, ainda me lembro como se fosse hoje, aos 11 anos de idade, ela estava na rede se balançando e eu sentada no chão, escorada na parede.

Ela falou do sacrifício de Cristo na cruz e no final me perguntou, “Ele fez tudo isso por nós, será que não vale apena que renunciemos por Ele?” O Espírito Santo me tocou e a resposta desta pergunta é que alguns dias depois eu estava na igreja aceitando Jesus.  Aleluia.

Não tenho dúvidas que Deus teve um propósito em colocar ela em Natal para ser minha vizinha, a família dela me acolheu, sempre viajava com eles no final de semana, participava dos congressos e para as cruzadas com ela, adoraaaava rssss
Olha só, como eu estava uma bolinha rsss minha carteira do batismo


Com 12 anos eu me batizei nas águas, foi um momento lindo, incrível como era uma criança apaixonada por Jesus. Depois Diniza foi embora, eu ia para os cultos sozinha, as vezes os irmãos ficam com dó de mim, por ser esquisito a volta para casa após o culto e muitas vezes iam me deixar em casa. Eu ia para o culto matutino sozinha, às 5 da manhã,jejuava, passava a noite nas vigílias na Assembléia de Deus de Neópolis (bairro vizinho ao que morava), ia andando às 22h da noite e voltava andando às 5h da manhã, com uma irmã da igreja que morava perto de mim, ia para os círculos de oração... Que saudade desse tempo, da simplicidade, da pureza do meu relacionamento com Deus. Que época feliz e intensa, era o primeiro amor.

Bom... e depois de 12 anos, quando o Pastor Josué pediu para sairmos do nosso lugar e procurar uma pessoa na igreja para abraçar e dizer: “ Sou grato a Deus pela sua vida”. Foi quase que instantâneo, ela veio a minha mente e fiquei tão feliz dela está lá para eu poder abraçar e agradecer por ter falado do amor de Deus pra mim e ser canal de benção para minha vida e hoje estou aqui.
Essa semana estava mexendo nas minhas coisas e achei o cd de Diniza, daqueeela época!! Época que tenho saudade.

 

2 comentários: